Prefeito é preso e confessa estupro de menina de 8 anos em SP


O prefeito interino de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), de 34 anos, foi preso na manhã deste sábado por raptar e abusar de uma menina de 8 anos, no Vale do Igapó, em Bauru (SP). De acordo com a polícia, ele confessou ter estuprado a menor.

Após o registro da ocorrência por flagrante de estupro de vulnerável, Araújo foi levado à cadeia de Barra Bonita, às 19h50min. Ele deverá passar por audiência de custódia neste domingo, em Bauru.Segundo apurou a Polícia Militar, que efetuou a prisão, o interino pegou a criança num conjunto residencial e se dirigiu até um matagal, onde o carro acabou caindo em um buraco. A menina conseguiu se desvencilhar do prefeito, correu e pediu ajuda a um casal. Araújo foi encontrado caminhando entre árvores. Ele tentou fugir e entrou em luta corporal com os policiais. De acordo com o registro policial, o político aparentava estar sob efeito de drogas. Uma perícia vai verificar se houve relação sexual.

O preso é presidente da Câmara de Vereadores de Bariri, cidade com cerca de 35 mil habitantes, e está no cargo de prefeito desde o início do ano passado. Em nota, a Câmara de Bariri anunciou que, na segunda-feira, de posse do registro policial, vai entrar com pedido de quebra de decoro e afastamento do prefeito. Também será discutido quem assume o cargo de prefeito até a nova eleição marcada para junho.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) marcou novas eleições para 3 de junho, pois, após o pleito de 2016, os candidatos a prefeito e vice da chapa mais votada – Francisco Leoni Neto e Benedito Mazotti, ambos do PSDB – tiveram o registro indeferido com base na Lei da Ficha Limpa.

Joesley afirma que pagava mesada de R$ 50 mil para Aécio por meio de rádio


O empresário Joesley Batista afirmou, em depoimento à Procuradoria-Geral da República (PGR), que pagou uma mesada de R$ 50 mil ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) entre 2015 e 2017. O dinheiro chegava ao tucano por meio de pagamentos feitos pela JBS à rádio Arco Íris, afiliada da Joven Pan em Belo Horizonte, da qual Aécio foi sócio.

Ainda segundo o relato de Joesley, o senador pediu a mesada a ele durante um encontro no Rio. Nas palavras do delator, Aécio disse que usaria o dinheiro para “custeio mensal de suas despesas”. As informações são da edição desta sexta-feira do jornal “Folha de S.Paulo” e foram confirmadas pelo GLOBO.

De acordo com a reportagem, além de fazer o relato do pagamento das mesadas, Joesley entregou para os investigadores 16 notas fiscais de R$ 54 mil emitidas pela rádio no período em nome da JBS. Os recibos têm como justificativa a prestação de “serviço de publicidade”, em forma de “patrocínio do Jornal da Manhã”, um dos programas da rádio.

Joesley não esclareceu, no depoimento, a diferença de R$ 4 mil no valor das notas e na mesada acertada com Aécio. Ele relatou não saber se as propagandas de fato foram veiculadas, mas reforçou que sua intenção era repassar a mesada para ter bom relacionamento com tucano, candidato à Presidência da República em 2014.

O último pagamento da JBS a Aécio, segundo a “Folha”, ocorreu em junho de 2017, um mês após vir à tona a delação dos executivos do grupo. Em um dos pontos da colaboração, Joesley gravou o senador tucano lhe pedindo R$ 2 milhões. Parte do dinheiro foi entregue a um primo de Aécio, Frederico Pacheco. Aécio, Pacheco e a irmã do senador, Andrea, tornaram-se réus neste processo no Supremo Tribunal Federal (STF) na última terça-feira.

À “Folha”, o advogado Alberto Toron, que defende Aécio, negou o pagamento de uma mesada e afirmou que Joesley se aproveita de uma “relação comercial lícita” para “forjar mais uma falsa acusação” contra o senador mineiro.

Itabuna: Defensor Público acusa PMs de atirarem contra seu carro


Nesta terça-feira (09) o defensor público Hamilton Gomes, esteve na rádio Difusora de Itabuna, na oportunidade acusou uma equipe da Táticas Ostensivas em Rodovias (TOR), de perseguir e atirar contra seu veiculo.

Hamilton Gomes declarou que foi durante a noite do último domingo e o local era escuro e não identificou que era uma viatura de Polícia, e que só parou o seu carro quando estava em um local iluminado. “fui levado para o posto da Polícia Rodoviária Federal para fazer o teste do bafômetro, não fiz por entender que a perseguição foi na cidade, e não na BR 101, fui levado para o complexo e a delegada constatou que não estava embriagado, e chegando lá meus colegas de defensoria constaram que no meu veiculo tinhas marcas de tiros, por pouco não fui baleado”, declarou o defensor.

(Políticos do Sul da Bahia)

Com imóvel próprio, Bolsonaro ganha auxílio-moradia da Câmara


O presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e um de seus filhos, Eduardo Bolsonaro (PSC-SP), recebem dos cofres públicos R$ 6.167 por mês de auxílio-moradia mesmo tendo um imóvel em Brasília. Ambos são deputados federais.

O apartamento de dois quartos (69 m²), em nome de Jair, foi comprado no fim dos anos 90, quando ele já recebia o benefício público, mas ficou pronto no início de 2000. O político recebe da Câmara o auxílio-moradia desde outubro de 1995, ininterruptamente. Eduardo, desde fevereiro de 2015, quando tomou posse em seu primeiro mandato como deputado. Ao todo, pai e filho embolsaram até dezembro passado R$ 730 mil, já descontado Imposto de Renda. Além do apartamento na capital, os políticos da família Bolsonaro têm mais 12 imóveis no Rio, a maior parte adquirida nos últimos dez anos, como mostrou a Folha neste domingo (7).

O auxílio-moradia é pago a deputados que não ocupam apartamentos funcionais no DF. Como há mais deputados do que vagas em imóveis destinados a eles, a Câmara desembolsa para cada um desses, por mês, R$ 4.253.

Ibirataia: Animais mortos são jogados constantemente às margens da BA-120


Jogar animais mortos em vias públicas é crime. O infrator pode responder por crime ambiental, contra a saúde pública. Mesmo assim, quem trafega pela rodovia BA-120, trecho que liga o distrito de Algodão à sede do município de Ibirataia é bem comum se deparar com animais mortos que constantemente são jogados às margens da via, em muitos casos os urubus tomam de conta da pista, além do mau cheiro que exala no local os animais atrapalham a visibilidade de motoristas e motoqueiros.

O blog Bahia em Dia apurou que os animais são jogados pelo menos em dois trechos da rodovia, um próximo a localidade conhecida como ”Os Bambus” e a outra ”Ladeira da Maria Viúva”. Também apuramos que geralmente os animais são mortos em fazendas vizinhas à pista e, por hábito, os proprietários tiram os restos mortais de suas terras e os jogam onde não há dono, ou seja, nos acostamentos.

Os proprietários devem ter consciência de que animais mortos não podem ser abandonados em qualquer lugar. Esses animais são um perigo para quem está transitando na estrada, principalmente no período da noite, quando a visibilidade é menor e pode ocasionar acidentes.

Outra preocupação é o risco de contaminação biótica. A decomposição de animais envolve a participação de bactérias e outros micróbios, além de insetos e outros seres que podem ser vetores de doenças. Com as chuvas os restos mortais são levados pelas as enxurradas para dentro de represas, rios e para as pastagens, podendo contaminar animais e até mesmo pessoas que praticam pesca próximo ao local onde o animal foi desovado.

(Bahia em Dia)

Executivos da Odebrecht relatam ‘demanda’ de R$ 1 milhão para filme sobre Lula


A Operação Lava Jato investiga a captação de recursos para o financiamento do longa “Lula, o Filho do Brasil”. O empreiteiro Marcelo Odebrecht e o ex-ministro Antonio Palocci já prestaram depoimento. Em e-mails capturados pela Polícia Federal, executivos relatam a “demanda” de R$ 1 milhão para “apoiar o filme de interesse do nosso cliente”, que seria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O filme que narra a história do petista estreou em 1º de janeiro de 2010 e custou cerca de R$ 12 milhões. A Odebrecht destinou R$ 750 mil para o longa. A defesa de Lula não comentou a investigação da força-tarefa em Curitiba. O produtor do longa, Luiz Carlos Barreto, negou que tenha ocorrido tráfico de influência. A Odebrecht informou que está “colaborando com a Justiça”.

Em depoimento no dia 11 de dezembro, Palocci foi questionado pelo delegado Filipe Hille Pace sobre sua suposta relação com a produção do filme. O ex-ministro afirmou que “deseja colaborar na elucidação de tais fatos”, mas que naquele momento ficaria em silêncio. No mesmo dia, Marcelo Odebrecht – delator da Lava Jato, já condenado e em prisão domiciliar em São Paulo – também falou ao delegado. Durante o depoimento, a PF apresentou ao empreiteiro e-mails extraídos de seu computador e ligados ao financiamento do filme. Em um dos e-mails, Marcelo enviou cinco tópicos relacionados ao filme a funcionários do grupo.

A força-tarefa apura se o financiamento do filme tem relação com o esquema de desvios e corrupção na Petrobras. À PF, Marcelo disse acreditar “que a doação para o filme fazia parte da agenda mais geral da Odebrecht com PT e Lula, ou, por exemplo, de uma “conta-corrente geral de relacionamento que Emílio (Odebrecht, seu pai), poderia manter com Lula”.

Gongogi: Prefeitura atrasa salários de servidores contratados


A gestão do prefeito Edvaldo Santos (PR), o Kaçulo, vem sem alvo de críticas por parte dos servidores municipais, principalmente dos servidores contratados, que vem sendo castigados com atrasos no pagamento dos salários. Os atrasos, em algumas categorias possuem dois meses, são registradas nas pastas de educação, saúde e infraestrutura. A comunidade reclama que o gestor ‘inflou’ a folha de pagamento com servidores contratados e tem tido dificuldade até mesmo para pagar os vencimentos dos profissionais concursados da educação, exemplo disso é que os salários de outubro só foram pagos no dia 08 de novembro após pressão da APLB. “Falta rumo ao governo”, disse um professor ao blog Ubatã Notícias. Em tempo, Kaçulo substituiu a gestão desastrosa do ex-prefeito Sapão, mas até o momento a sua gestão não conseguiu emplacar em Gongogi.

(Ubatã Notícias)

TCM rejeita contas de ex-prefeita de Apuarema e encaminha denúncia ao MP; ex-prefeito de Piraí do Norte também tem contas rejeitadas


O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), nesta quinta-feira (16), rejeitou as contas das prefeituras de Apuarema e Piraí do Norte, de responsabilidade de Jozilene Barreto Ribeiro (Lene) e Heráclito Menezes Leite (Herazinho), respectivamente, relativas ao exercício de 2016.

No município de Apuarema, além do descumprimento do artigo 42 da LRF, que gerou um saldo negativo de R$526.680,51 nas contas públicas, também foi identificada a aplicação de recursos abaixo do percentual exigido na área da educação, alcançando apenas 23,58%, quando o mínimo exigido é de 25%. A despesa com pessoal extrapolou o limite máximo de 54%, alcançando 61,35% da receita corrente líquida do município. Foi determinada a formulação de representação ao MPB contra a ex-prefeita Jozilene Barreto Ribeiro (Lene), pelo descumprimento do artigo 42 da LRF, e o ressarcimento aos cofres municipais da quantia de R$234.048,20, com recursos pessoais, em razão de processos de pagamentos não encaminhados (R$53.557,02), não apresentação de notas fiscais (R$155.198,10) e pela ausência de comprovação de pagamento (R$25.293,08). Também foram imputadas duas multas. Uma de R$10 mil e outra no valor correspondente a 30% dos seus subsídios, por não ter promovido a redução da despesa com pessoal.

Já em Piraí do Norte, a rejeição se deu em razão da extrapolação do limite máximo de 54% para despesas com pessoal, já que o município promoveu gastos no percentual de 67,67% da sua receita corrente líquida. O ex-prefeito Heráclito Menezes Leite (Herazinho) foi multado em R$28.800,00, que equivale a 30% dos seus subsídios anuais, pela não redução das despesas com pessoal e em R$15 mil pelas demais irregularidades apuradas no relatório técnico. Cabe recurso das decisões.

Ipiaú: Radialista é indiciado com base na Lei Maria da Penha por agressão à ex-esposa


O radialista e ex-candidato a vereador Beto Marques teria agredido a ex-esposa na tarde desta quinta-feira (17) em Ipiaú, na creche municipal onde sua filha estuda. De acordo com o delegado titular da região, Rodrigo Fernando, Beto não negou que teria tentado pegar a filha do colo da ex-esposa após ela ter recusado deixar a criança ir embora com ele. Segundo Beto, a mulher que teria o agredido. Entretanto, a versão foi contestada pela ex-mulher e por testemunhas que teriam visto que o homem partiu para cima dela e a agrediu após a negativa. “Ele será indiciado por lesão corporal com base na Lei Maria da Penha e o caso será encaminhado para Justiça”, disse o delegado.

Denúncias recebidas pelo Bahia Notícias apontam que algumas crianças que estavam na creche chegaram a testemunhar a agressão. Procurado pelo BN, Beto disse que está passando por um divórcio conturbado, que foi agredido e que nenhuma criança da creche viu a briga acontecendo. “Como tenho um programa na cidade e tenho me tornado mais reconhecido, as coisas acabam tomando grande proporção”, disse. Sobre o estado de saúde da ex-esposa, o delegado informou que ela está muito abalada, mas fisicamente bem. “Ela está sendo ouvida nesta sexta e não possui hematomas visíveis. Foi expedida uma guia para ela realizar exames de corpo delito no hospital”, falou Fernando.

MPF denuncia ex-prefeito, deputada e mais oito pessoas por fraudes em licitações em Ibirapitanga


O Ministério Público Federal (MPF) em Ilhéus denunciou, nesta sexta-feira (10), o ex-prefeito de Ibirapitanga Antônio Conceição Almeida, mais conhecido como Gude, a deputada estadual Ângela Sousa e mais oito pessoas pelo desvio de R$ 801.788,20 por fraude em processo licitatório no município de Ibirapitanga. A denúncia foi originada a partir das investigações da Operação Águia de Haia e está relacionada ao pregão realizado em 2011 para contratação de serviços educacionais voltado a implantação e utilização de tecnologias de informação.

De acordo com o MPF, foi apurado que o denunciado Kells Belarmino Mendes liderava uma organização criminosa composta pelos denunciados Marconi Edson Baya, Fernanda Cristina Marcondes Camargo, Rodrigo Seabra Bartelega Souza e Maycon Gonçalves Oliveira dos Santos, que fraudou licitações e desviou recursos públicos, por meio de pagamentos exorbitantes por serviços não eram prestados. A organização criminosa agia em diversos municípios e negociava com as prefeituras um “pacote fechado”. Esse pacote viabilizava as fraudes e incluía as minutas e modelos das peças dos procedimentos licitatórios, montados para permitir que as empresas da organização criminosa fossem as únicas interessadas e, ao final, somente elas fossem as vencedoras.

Segundo as investigações, em Ibirapitanga, a organização criminosa, com auxílio da deputada estadual Ângela Sousa, cooptou o então prefeito de Ibirapitanga, Antônio Conceição Almeida, o Gude, por meio de promessa de pagamento de propina. Após o acerto, os membros da organização criminosa forneceram os modelos e orientaram os servidores da Prefeitura de Ibirapitanga, incluindo a então secretária de educação Jailma dos Santos Marambaia e o presidente da comissão de licitação Antônio Souza Pacheco, a fraudarem a licitação Pregão nº 042/2011.

Após vencer a licitação fraudada, a empresa KTECH recebeu, entre fevereiro e agosto de 2012, cinco pagamentos que somaram R$ 1.005.125,00. Porém, as investigações mostraram que o objeto licitado sequer tinha condições de ser executado na prática, pois os serviços dependiam de uma infraestrutura preexistente para que pudessem ser implantados nas escolas municipais, como computadores e acesso à internet de qualidade mínima. “Ocorre que, a grande maioria das escolas do citado município, não dispunham dos requisitos necessários para o funcionamento do serviço”, afirmou o procurador.

A inexecução do serviço gerou um prejuízo de R$ 801.788,20, sendo que o ex-prefeito Gude, com sua participação em cada parcela, recebeu R$ 300.000,00 em seu favor. (mais…)