Ibirataia: Moradores da Avenida Ilton Lopes Leal reclamam a constante falta de energia


Moradores da Avenida Ilton Lopes Leal estão reclamando com a falta de energia no local que vem ocorrendo constantemente quase sempre nos mesmos horários entre 17h e 18h. De acordo um comerciante do local, nos últimos trinta dias a energia foi interrompida mais de dez vezes. Só nessa semana a energia faltou na segunda, na terça e na quarta-feira, sempre nos horários citados, causando um prejuízo enorme para os moradores e proprietários de estabelecimentos comerciais. Ainda de acordo o comerciante, a Coelba é acionada para fazer o conserto da rede, porém só faz “armengar”, e no dia seguinte acontece o mesmo defeito. Vale lembrar que o defeito na rede acontece a partir do local – Pousada Tambuque até a Pousada HD, na saída para Ipiaú.

(Tesouras Noticias)

Gandu: Moradores plantam bananeira no meio da rua para sinalizar buraco


Moradores de uma rua, no bairro Teotônio Calheira, aproveitaram as comemorações de aniversário de 60 anos de emancipação política de Gandu para protestarem de uma forma bem humorada. Com um serviço iniciado no local há mais de seis e ainda sem conclusão, eles resolveram plantar no meio da rua um pé de banana. Medindo cerca de 1.20cm, a bananeira foi usada para sinalizar e alertar motoristas e pedestres sobre o risco de acidentes na rua.

Segundo um morador que reside na rua, teoricamente o serviço não demoraria mais que dois dias para ser concluído. “Esta rua tem bastante movimento. O problema era apenas alguns paralelepípedos fora do lugar. Era só retirar e colocar de novo. Acho que estão fazendo licitação para comprar material”, disse o morador em tom de brincadeira.

(Diário Paralelo)

Ibirataia: Moradores denunciam a ausência constante da Prefeita no município


A prefeita de Ibirataia, Ana Cléia (PSD), parece que pouco se importa com o município. A gestora, que fez campanha nas eleições passadas prometendo transformar a cidade, já desistiu até da reeleição.

A redação do Bahia em Dia constantemente recebe denúncias contra a administração da prefeita, que segundo informações, por várias vezes desaparece da cidade e fica muito tempo sem aparecer. Há quem diga que faz duas semanas que ela não entra na prefeitura e vai até seu gabinete atender ou despachar. Informações colhidas por nossa redação dão conta que ela estava em Salvador e que retornaria nesta terça-feira (24). Ainda segundo informações, sempre que a prefeita está ausente quem assume a Prefeitura é o seu esposo e secretário de Governo Valdo Silva.Diante do fato, o curioso é que recentemente, no dia 06 de junho, a página do Facebook da Prefeitura publicou uma matéria relatando que, naquele mesmo dia, a prefeita teria sido surpreendida por sua equipe de governo ao encontrar seu gabinete decorado em homenagem à seu aniversário, que é comemorado no dia 10 de maio. Portanto, essa postagem deixou bem claro que a prefeita ficou aproximadamente um mês sem ir à seu gabinete, já que a surpresa só foi realizada 27 dias após seu aniversário.

(Bahia em Dia)

Jequié: Desleixo com a BA-547, próximo a Florestal, pode acabar em tragédia


O desleixo do governo com a BA-547 tem deixado a comunidade regional, principalmente os usuários dessa estrada, muito preocupados. A situação é mais crítica nas proximidades do distrito de Florestal, no município de Jequié, em razão do deslizamento de terra que toma de quase totalidade das duas pistas, podendo colocar vidas em risco. O problema, embora grave, se arrasta faz uns dez anos e o máximo que é feito pelo governo é a retira de parte do excesso.

As críticas ganharam novos adeptos nesta terça-feira (17) a partir da publicação de uma imagem que mostra o tamanho real do problema, pois o deslizamento não se resume ao morro próximo a pista. “O governo precisa agir, com urgência, para evitar uma possível tragédia”, disse um produtor rural.

Além do deslizamento, a buraqueira se alastra ao longo de vários trechos da BA que liga Jequié (BR-116) á Gandu (BR-101), passando por Florestal, Apuarema e Itamari. Outra agravante é a deficiência na sinalização.

(Jequié e Região)

Gongogi: Alunos reclamam de carteiras quebradas e da qualidade da merenda


Várias carteiras e cadeiras quebradas, sem apoio para escrever, com pregos à mostra, alunos fazendo atividades com cadernos e livros no colo. O cenário nas salas de aula é desolador. Ventiladores que não funcionam, quadros em situação precária, teto com goteiras e paredes sujas. O descaso com a educação tem endereço: a Escola Municipal Roque Rocha Monteiro, localizada em Gongogi, pequeno município sul baiano. É essa a realidade enfrentada, todo dia, pelos cerca de 400 estudantes do local.

Os alunos também têm reclamado com frequência da qualidade da merenda escolar: “Quase todo dia é suco com bolacha”, reclama um estudante. A situação tem sido motivo de críticas nas redes sociais, onde já circulam fotos do cenário da Instituição: “É um cenário de caos, um absurdo o que temos visto na Escola Roque Monteiro”, reclamou uma mãe de aluno. Por ora, segue o caos.

(Ubatã Notícias)

Ibirataia: Prefeitura inicia reforma de quadra e deixa abandonada há quase quatro meses


O município de Ibirataia parece ter perdido mesmo o controle da administração em menos de dois anos de governo. Moradores e principalmente a juventude que pratica esportes estão indignados com a reforma da quadra de esportes, localizada no centro da cidade (em frente a Rodoviária), que teve seus serviços iniciados há quase quatro meses e até agora a referida obra se encontra paralisada em total abandono.De acordo com moradores, a quadra que foi construída pelo saudoso prefeito Abnael Abdon Fair (Bia), mesmo com alguns problemas, a comunidade vinha fazendo a prática de esportes na localidade. “É muito triste ver nossa cidade quase dois anos de governo e não ver uma obra feita por essa administração”, disse um morador.
Lembrando que são vários os problemas existentes no município, tanto na parte da infraestrutura, quanto na saúde, educação e na área social que estão merecendo de uma melhor atenção por parte do poder público.

Ibirataia: Cansados de esperar solução, moradores do Ponto Chic 2 realizam obra por conta própria


Indignados com o descaso da Prefeitura, moradores do bairro Ponto Chic 2, em Ibirataia, resolveram por conta própria solucionar o problema de esgotamento sanitário, há muito tempo cobrado pela comunidade.

Recentemente, os moradores tomaram a iniciativa de comprar as manilhas e contratar os serviços de uma retroescavadeira e, no dia 1º de julho – domingo, formaram um mutirão e realizaram a obra de esgotamento sanitário, que no município é de responsabilidade da Prefeitura.Alguns moradores contaram a nossa reportagem que resolveram tomar essa atitude após a obra ser solicitada por várias vezes à atual gestão e nunca ser atendida. “Nós pagamos com o nosso dinheiro, mas não deveríamos. Nós já pagamos imposto para isso, mas cansamos de tanto esperar”, comentou um morador que acrescentou, “estamos aqui na própria sorte e pelo motivo de não ver uma solução por parte da prefeitura, resolvemos nos unir e fazer o mutirão”.

(Bahia em Dia)

Maraú: Chuvas deixam BR-030 intransitável


Com as fortes chuvas e a não conservação da BR-030, no trecho de estrada de chão que liga a BA-001 à Península de Maraú, as condições de trafegabilidade pela rodovia tem piorado nos últimos dias.

Uma imagem enviada por Cesar Dias, leitor do Bahia em Dia, mostra a realidade que se encontra a rodovia, precisamente no trecho da região do ”Pula Macaco”. Na foto, podemos ver dois caminhões atolados e outros veículos parados.

“Isso é uma vergonha, é um descaso total com a região e com a população que precisa dessa estrada, disse Cesar que acrescentou, “cadê os deputados que só aparece em ano de eleição, a rodovia está nessa situação caótica”.

Vale ressaltar que a manutenção da BA-030 é de responsabilidade do Governo Federal.

(Bahia em Dia)

Ibirataia: Moradores da zona rural sofrem com falta de manutenção das estradas


Moradores da zona rural de Ibirataia estão reclamando da situação em que se encontram às estradas rurais do município. De acordo com relatos de moradores, as estradas estão intransitáveis, com muitas valetas, atoleiros, buracos, dificultando o acesso às estradas vicinais do município. “Apesar das chuvas que têm caído, não justifica a administração deixar as estradas numa situação de total abandono”, comentou um morador da região das Três Barras. Outros que têm sofrido também com as condições das estradas são os estudantes. Nesta quarta-feira (04), um dos ônibus que faz o transporte dos alunos atolou e os estudantes tiveram que fazer o restante do percurso de volta para casa a pé. A maior indignação dos moradores da zona rural é que durante o período do verão, o cascalho que deveria ter sido usado nas estradas do município foi desviado para o município de Ibirapitanga.Vale ressaltar que ao deixar a prefeitura, o ex-gestor Marcos Aurélio informou que deixava para a atual administração uma patrulha mecânica equipada com Patrol, Retroescavadeira, Caçambas, entre outros equipamentos que deveriam estar trabalhando em prol da zona rural.

Ibirataia: Após chuvas, ruas do bairro João Paulo ficam intransitáveis


Moradores do bairro João Paulo, em Ibirataia, continuam sofrendo com a precariedade no acesso à localidade devido a falta de pavimentação das ruas. O bairro está praticamente intransitável por conta das chuvas que caíram nos últimos meses.As imagens mostradas acima foram feitas por moradores que relataram a dificuldade em se locomoverem nas ruas do bairro. Em contato com a redação do Bahia em Dia, alguns moradores nos contou que levar os filhos à escola também virou um transtorno. “É muito buraco, a gente não tem como mandar as crianças limpas para a escola porque elas se sujam. A escola reclama, mas não há o que fazer”, diz uma moradora.

Sabemos que os problemas de infraestrutura do bairro não é de agora, entra prefeito, sai prefeito e os problemas continuam, a sensação que fica para os moradores é a falta de planejamento que possa se antecipar aos problemas e amenizar a situação.

Esperamos sinceramente que a prefeitura, através da secretaria de infraestrutura, possa se sensibilizar com o drama vivido por essas pessoas e consiga resolver o problema, pois infraestrutura também deve ser uma política permanente no município, afinal isso reflete inclusive na qualidade de vida das pessoas. Esperamos também que o legislativo municipal possa atuar junto ao executivo no sentido de viabilizar condições de resolução dos problemas narrados e levar à população um mínimo de dignidade.

(Bahia em Dia)