Delator diz que Romário recebeu R$ 3 milhões para apoiar Pezão


O ex-secretário de Obras do governo do Rio Hudson Braga afirmou ter pagado R$ 3 milhões ao senador Romário Faria, pré-candidato ao governo do Estado, para que ele declarasse apoio ao então candidato a governador Luiz Fernando Pezão em 2014. As informações são da coluna Radar, da revista Veja.

Segundo o delator, Romário teria sinalizado o valor que queria com as mãos, com receio de ser gravado. A reunião teria acontecido Hotel Othon, no Rio. No mesmo encontro, o senador fechou detalhes de a agenda de eventos, incluindo entrevista coletiva, gravações de apoio e carreata. O montante teria sido pago em espécie, em parcelas de R$ 800 mil, R$ 50 mil e R$ 850 mil, por meio de um intermediário. O homem apontado como representante de Romário para receber os pagamentos é Sergio Barcelos.

Operação cumpre mandados de busca contra grupo suspeito de fazer cirurgias ‘fictícias’ e desviar verbas do SUS na Bahia


A Operação “Agentes Nocivos”, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (26), cumpre dois mandados de busca na sede da Secretaria Municipal de Saúde e no Hospital Municipal da cidade de Guaratinga, região sul do estado.

A ação investiga um grupo suspeito de fazer cirurgias e outros procedimentos médicos “fictícios” na unidade de saúde. Segundo a investigação da PF, os procedimentos médicos não foram realizados de fato, mas foram pagos com recursos do SUS. Conforme as investigações da PF, as verbas foram repassadas para o custeio da saúde na prefeitura de Guaratinga e desviados ilicitamente em benefício dos investigados, que não tiveram os nomes divulgados. A quantia em dinheiro supostamente desviada pelo grupo não foi divulgada pela polícia.

Os investigados na operação responderão pelos crimes de organização criminosa e peculato. O nome da operação é uma alusão aos agentes públicos nocivos que causam danos à saúde da população.

(G1)

Pré-candidatos à Presidência são alvos de mais de 160 investigações em tribunais


Um levantamento feito em tribunais superiores, federais e estaduais, mostra que entre 20 possíveis candidatos à presidência da República, pelo menos 15 são investigados. Casos que vão da Operação Lava Jato e suas derivações a outras investigações de desvio dinheiro público atingem pelo menos oito prováveis aspirantes ao Planalto. Há, inclusive, investigação sobre acidente de trânsito. Os dados são do jornal Folha de S.Paulo.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o líder das pesquisas eleitorais, mas deve ter a campanha inviabilizada pela condenação a 12 anos e um mês na Operação Lava Jato. Lula está preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba. Outras duas possibilidades do Partido dos Trabalhadores (PT) são Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, que é investigado por suposto uso de caixa dois, e Jacques Wagner, ex-governador da Bahia, investigado por suspeita de recebimento de propina na reforma da Arena Fonte Nova.

O presidente Michel Temer (MDB) possui duas denúncias e duas investigações em curso no momento. O Senador Fernando Collor (PTC) é réu na Lava Jato e tem, ainda, outros quatro inquéritos em andamento. Rodrigo Maia (DEM) é investigado em dois inquéritos da Operação Lava Jato.

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, teve uma investigação enviada para a Justiça Eleitoral, o que o tirou da reta da Lava Jato. Entretanto, foi acusado por delatores da Odebrecht de ter recebido R$ 10 milhões em caixa dois e se tornou alvo do Ministério Público de São Paulo. Alckmin e Haddad possuem, ainda, ações ligadas a questões administrativas dos anos em que foram, respectivamente, governador e prefeito de São Paulo. (mais…)

Lúcio ‘ameaça’ ministros com ‘vídeo’ de Geddel pedindo voto


No afã de conseguir recursos para municípios onde tem base, na tentativa de se reeleger, o deputado baiano Lúcio Vieira Lima (MDB) tem lançado mão de uma estratégia para lá de inusitada. De acordo com a Veja, ele “ameaça” ministros que estão em busca da reeleição. Diz, de acordo com a publicação, que se o recursos não saírem, Geddel Vieira Lima irá gravar um vídeo diretamente da prisão para pedir votos para o político.

Geddel foi preso após a Polícia Federal encontrar R$ 51 milhões em malas em um apartamento em Salvador. Uma das “vítimas” de Lúcio foi o ex-ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, que disputará o governo do Pará.

(Metro1)

Prefeito é preso e confessa estupro de menina de 8 anos em SP


O prefeito interino de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), de 34 anos, foi preso na manhã deste sábado por raptar e abusar de uma menina de 8 anos, no Vale do Igapó, em Bauru (SP). De acordo com a polícia, ele confessou ter estuprado a menor.

Após o registro da ocorrência por flagrante de estupro de vulnerável, Araújo foi levado à cadeia de Barra Bonita, às 19h50min. Ele deverá passar por audiência de custódia neste domingo, em Bauru.Segundo apurou a Polícia Militar, que efetuou a prisão, o interino pegou a criança num conjunto residencial e se dirigiu até um matagal, onde o carro acabou caindo em um buraco. A menina conseguiu se desvencilhar do prefeito, correu e pediu ajuda a um casal. Araújo foi encontrado caminhando entre árvores. Ele tentou fugir e entrou em luta corporal com os policiais. De acordo com o registro policial, o político aparentava estar sob efeito de drogas. Uma perícia vai verificar se houve relação sexual.

O preso é presidente da Câmara de Vereadores de Bariri, cidade com cerca de 35 mil habitantes, e está no cargo de prefeito desde o início do ano passado. Em nota, a Câmara de Bariri anunciou que, na segunda-feira, de posse do registro policial, vai entrar com pedido de quebra de decoro e afastamento do prefeito. Também será discutido quem assume o cargo de prefeito até a nova eleição marcada para junho.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) marcou novas eleições para 3 de junho, pois, após o pleito de 2016, os candidatos a prefeito e vice da chapa mais votada – Francisco Leoni Neto e Benedito Mazotti, ambos do PSDB – tiveram o registro indeferido com base na Lei da Ficha Limpa.

Ministério Público abre inquérito contra Alckmin por suspeita de caixa 2


O Ministério Público de São Paulo abriu inquérito contra o ex-governador do Estado Geraldo Alckmin (PSDB) por suposto ato de improbidade. Alckmin, pré-candidato à Presidência da República, teria se beneficiado de valores estimados em R$ 10,5 milhões repassados para suas campanhas de 2010 e 2014 via Caixa 2.
Assinam a peça Otávio Ferreira Garcia, Nelson Luis Sampaio de Andrade e Marcelo Camargo Milani, todos da promotoria de defesa do patrimônio público. Os promotores usam o artigo 11 da Lei de Improbidade para embasar o procedimento. O artigo 11 estabelece que “constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade e lealdade as instituições”.
Na semana passada, a ministra Nancy Andrighi, do Superior Tribunal de Justiça, remeteu para a Justiça Eleitoral de São Paulo o inquérito contra Alckmin que tramitava na Corte Superior. Em tese, a prática de Caixa 2 da qual Alckmin supostamente se favoreceu é de competência eleitoral.

Joesley afirma que pagava mesada de R$ 50 mil para Aécio por meio de rádio


O empresário Joesley Batista afirmou, em depoimento à Procuradoria-Geral da República (PGR), que pagou uma mesada de R$ 50 mil ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) entre 2015 e 2017. O dinheiro chegava ao tucano por meio de pagamentos feitos pela JBS à rádio Arco Íris, afiliada da Joven Pan em Belo Horizonte, da qual Aécio foi sócio.

Ainda segundo o relato de Joesley, o senador pediu a mesada a ele durante um encontro no Rio. Nas palavras do delator, Aécio disse que usaria o dinheiro para “custeio mensal de suas despesas”. As informações são da edição desta sexta-feira do jornal “Folha de S.Paulo” e foram confirmadas pelo GLOBO.

De acordo com a reportagem, além de fazer o relato do pagamento das mesadas, Joesley entregou para os investigadores 16 notas fiscais de R$ 54 mil emitidas pela rádio no período em nome da JBS. Os recibos têm como justificativa a prestação de “serviço de publicidade”, em forma de “patrocínio do Jornal da Manhã”, um dos programas da rádio.

Joesley não esclareceu, no depoimento, a diferença de R$ 4 mil no valor das notas e na mesada acertada com Aécio. Ele relatou não saber se as propagandas de fato foram veiculadas, mas reforçou que sua intenção era repassar a mesada para ter bom relacionamento com tucano, candidato à Presidência da República em 2014.

O último pagamento da JBS a Aécio, segundo a “Folha”, ocorreu em junho de 2017, um mês após vir à tona a delação dos executivos do grupo. Em um dos pontos da colaboração, Joesley gravou o senador tucano lhe pedindo R$ 2 milhões. Parte do dinheiro foi entregue a um primo de Aécio, Frederico Pacheco. Aécio, Pacheco e a irmã do senador, Andrea, tornaram-se réus neste processo no Supremo Tribunal Federal (STF) na última terça-feira.

À “Folha”, o advogado Alberto Toron, que defende Aécio, negou o pagamento de uma mesada e afirmou que Joesley se aproveita de uma “relação comercial lícita” para “forjar mais uma falsa acusação” contra o senador mineiro.

Itamari: Ex-prefeitos ‘Nego’ e ‘Miquinha’ têm contas rejeitadas pelo TCM


O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta terça-feira (17/04), rejeitou as contas da Prefeitura de Itamari, da responsabilidade de Valter da Silva Júnior, o “Nego”, e Erivaldo Andrade Silva, o ”Miquinha”, relativas ao exercício de 2016. O relator do parecer, conselheiro Plínio Carneiro Filho, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra os gestores em razão do descumprimento do artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal – restos a pagar sem recursos disponíveis – e por irregularidades em licitações.

Nego, que ficou no cargo no período de 01/01 a 06/07 de 2016, foi multado em R$15 mil e terá que restituir aos cofres municipais, com recursos pessoais, a quantia de R$110.985,04, devido a realização de despesas sem comprovação. Já o sucessor, Miquinha, responsável pelo período de 07/07 a 31/12 de 2016, foi multado em R$7 mil.

A relatoria apurou que os recursos deixados em caixa pelo gestor, no montante de R$2.059.978,40, foram insuficientes para o pagamento das despesas inscritas como “restos a pagar e de exercícios anteriores”, resultando em um saldo negativo na ordem de R$2.200.902,86. Além de descumprir o disposto no artigo 42 da LRF, essa irregularidade também caracteriza a existência de grave desequilíbrio fiscal, e compromete o mérito das contas, impondo parecer pela rejeição por parte do TCM.

Os gestores também extrapolaram na despesa total com pessoal, vez que os gastos alcançaram o montante de R$14.144.075,88, que corresponde a 64,20% da receita corrente líquida do município, quando o limite máximo permitido pela LRF é de 54%.

O relatório técnico ainda destacou uma série de irregularidades formais em procedimentos licitatórios realizados no montante total de R$4.743.619,70, tais como ausências de comprovação de conformidade dos preços que orientaram o processo licitatório com os praticados no mercado, publicidade do resumo do edital e concorrentes para itens licitados. Cabe recurso da decisão.

Ibirataia: Vereador Bira da Topic cumpre agenda movimentada no último domingo (15)


O vereador Bira da Topic (PCdoB), cumpriu agenda movimentada neste último domingo (15). Logo pela manhã, o vereador participou do mutirão voluntário pela construção da laje da casa do amigo Gibí, no Bairro Nova Ibirataia de Cima. Ele não apenas foi para olhar, mas sim, pôs a mão na massa e ajudou na prática a construção da laje.Saindo do mutirão, Bira seguiu para a região rural das Três Barras, onde esteve visitando amigos e prestigiando um torneio de futebol realizado naquela localidade. Na oportunidade, Bira agradeceu e parabenizou os amigos Edmilson, Jurandir e Binho, pelo empenho para realizarem o torneio.  “Foi um domingo bastante produtivo. Pela manhã, participei de uma ação social, onde juntamente com amigos, realizamos um mutirão para construir a laje da casa de um grande amigo. Terminei o dia fazendo algo que mais gosto, que é prestigiar um evento esportivo, realizado nas Três Barras, onde pude rever e abraçar amigos e eleitores, além de anotar as demandas daquela comunidade”, disse Bira.

(Bahia em Dia)

Por unanimidade, STF torna Aécio Neves réu por corrupção e obstrução de justiça


Por 5 votos a 0, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou tornar o senador Aécio Neves (PSDB-MG) réu na ação que o acusa de corrupção e obstrução da Justiça (esta última acusação, recebeu quatro votos dos cinco ministros da Turma). O ex-presidenciável tucano foi denunciado em junho de 2017 pela Procuradoria-Geral da República, acusado de ter recebido 2 milhões de reais do empresário da JBS Joesley Batista como pagamento de propina, e de tentar impedir as investigações da Operação Lava Jato. Aécio Neves chegou a ser afastado de suas funções legislativas por 46 dias pelo STF, mas, após uma mudança de entendimento do próprio Supremo, foi salvo pelos colegas de Senado. O senador nega as acusações e se diz vítima de uma armação.