Ibirataia: Com obras paradas, moradores do distrito de Algodão temem chegada do tempo chuvoso

A chegada do período chuvoso, que está previsto pra começar durante esta semana, é marcado pela preocupação de quem vive nas áreas de risco de deslizamento de terra, especialmente no distrito de Algodão, município de Ibirataia, no sul da Bahia. Neste mês de dezembro está completando dois anos que na localidade conhecida como “Rua da Rampa” ocorreu deslizamentos da encosta, vindo a provocar uma grande erosão no calçamento.

Na localidade, o clima ainda é de muitas lembranças e insegurança, sendo que o cenário é praticamente o mesmo. Após o deslizamentos, uma empresa, por meio de licitação, foi contratada para construir dois muros de contenção de encosta, drenagem do solo e recuperação da pavimentação de extensão da via. Porém, as obras que estavam previstas pra serem concluídas em 28 de janeiro de 2023, seguem paradas e inacabadas.

Os moradores denunciam falta de cuidado do poder público e temem consequências graves causadas pela falta dos muros de contenção que ainda não foram construídos. Eles temem que uma chuva muito forte possa gerar um novo deslizamento de terra, causando grande risco de uma nova erosão no que restou do calçamento de um determinado trecho da rua, consequentemente, comprometendo a segurança de todos.

“Com a previsão da chegada do período chuvoso, equipes da prefeitura colocaram lonas em uma parte da encosta e concertou parte do calçamento, mas é visível que nada mudou, o risco continua”, relatou um morador do distrito.

Há cerca de um mês atrás, o Bahia em Dia publicou uma matéria relatando a preocupação dos moradores daquela localidade com a demora na conclusão das obras. Na oportunidade, os moradores reclamavam que a empresa responsável não estava aproveitando o momento de estiagem para concluir as obras (veja aqui ).

Na mesma matéria foi citado também que a prefeita Ana Cléia, durante entrevista a um programa de rádio, chegou a admitir a demora na conclusão daquela obra. Na ocasião, ela pediu paciência a população e disse que também tinha pressa para a conclusão da obra, porém, manifestou que está à mercê da empresa vencedora da licitação.

No entanto, em contato com nossa redação, os moradores questionaram o porquê a prefeitura não notifica a empresa devido o não cumprimento do prazo previsto em contrato.

“Se a prefeitura notificar a empresa pelo atraso, ela poderá acelerar o ritmo para concluir os serviços e não ficar sujeita a multa. Caso os serviços continue paralisado, acredito que é possível também que seja realiza uma nova licitação para que uma outra empresa finalize a obra”, disse um morador do distrito discordando da fala da prefeita.

(Bahia em Dia)

Siga o Bahia em Dia nas redes sociais 

Instagram: https://www.instagram.com/bahia_em_dia/

Facebook: https://www.facebook.com/bahiaemdia/

Bahia em Dia