Ipiaú: Sem intérprete para alunos surdos, estudantes do Colégio Estadual protestam em apoio aos colegas

Estudantes do 1º, 2º e 3º ano do turno matutino do Colégio Estadual de Ipiaú protestaram na manhã dessa segunda-feira (11), em apoio a dois colegas surdos que estão sem o intérprete na sala de aula desde o início do mês de junho. Os alunos decidiram não assistirem as aulas até que a professora de libras (línguas de sinais) seja restabelecida ao cargo. A professora foi exonerada pela Secretaria de Educação do Estado no último mês.

                             Crisliane e Bruno (Foto: Giro Ipiaú)

O apoio aos estudantes surdos do 2º ano, Bruno Silva Souza e Crisliane Santos Sampaio, ganhou às ruas em uma manifestação realizada pelos colegas e familiares. “Todo o tempo estamos brigando, todo ano é essa luta, acionando o Ministério Público para que o Estado possa oferecer intérprete para os nossos filhos, já que o direito deles não está sendo respeitado”, disse Vanusa de Jesus Silva, mãe de Bruno. “Minha filha e o colega dela estão há duas semanas sem vim assistir aulas por falta de um intérprete. É uma falta de respeito com eles, é muita humilhação pra eles e para nós que somos mães, já chega disso”, comentou Cristiane Lopes dos Santos-mãe de Crisliane. As mães dos estudantes surdos disseram que irão novamente acionar o Ministério Público em busca de uma solução.

Direção do colégio comenta manifestação

Através de nota, a direção do colégio, comentou o protesto. “O Colégio Estadual de Ipiaú, diante da manifestação por parte dos estudantes em favor dos alunos surdos que estão sem acompanhamento de Intérprete de Libras, vem informar que diversas ações foram tomadas junto ao Núcleo Territorial de Educação, que também vem se empenhando na equação da situação. O fato vem sendo socializado com os responsáveis pelos alunos e com a profissional que teve contrato cancelado. Deste modo, estamos todos aguardando as definições da Secretaria de Educação do Estado, uma vez que a situação não é um caso isolado. Outras unidades sofrem com a ausência deste profissional. Vale lembrar que as aulas serão mantidas em cumprimento ao calendário já estabelecido”. Nossa reportagem manteve contato com a Secretaria de Educação do Estado, e após inúmeras transferência de ligações, nenhum setor da secretaria comentou o caso.

(Giro Ipiaú)