Isaquias é tricampeão mundial no C1 500m; Erlon e Maico disputará final B no C2 1000m

Martin Fuksa parecia ser o grande adversário. Era o então bicampeão mundial do C1 500m, o cara que venceu tudo o que disputou ao longo da temporada. Mas o baiano de Ubaitaba, Isaquias Queiroz, se valeu do trabalho duro e de uma máxima repetida à exaustão pelo técnico Jesus Morlán: não se pode ganhar tudo. Isaquias foi superior quando realmente importou, na final do Campeonato Mundial de canoagem velocidade de Montemor-o-Velho, em Portugal, disputada nesta sexta-feira (24). Cravou 1m49s203 e provou que é quem manda nessa distância. Vencedor também em 2013 e 2014, ele agora é tricampeão mundial na prova.

Na disputa desta sexta, curiosamente, Sebastian Brendel, tricampeão olímpico no C1 1000m, foi a maior ameaça a Isaquias Queiroz. O alemão fez uma prova espetacular, se colando ao lado do brasileiro nos metros finais, mas acabou na segunda colocação com 1m49s496. Fuksa observou tudo de perto e ficou em terceiro lugar (1m50s143).

Erlon e Maico disputará final B no C2 1000m

Parceiro de Isaquias Queiroz na conquista da prata olímpica da Rio 2016 no C2 1000m, o outro baiano Erlon de Souza, este de Ubatã, remou no Mundial em Montemor-o-Velho ao lado do jovem Maico dos Santos nessa prova. Maico também é baiano do município de Itacaré. A ideia era dar uma folga para Isaquias e ajudar o menino Maico a ter o direito de pleitear a Bolsa Pódio com a classificação para a final. E esse último objetivo, por muito pouco, não foi alcançado. Os dois terminaram a bateria semifinal na quarta colocação, com tempo de 3m37s135, e a vaga para a final A escapou por uma posição.

(Globo Esporte)