Jequié: Homem está há 15 dias aguardando por regulação no Hospital Geral Prado Valadares

Um homem identificado como Jailton Santos Souza, de 56 anos, está internado no Hospital Geral Prado Valadares em Jequié, no sudoeste da Bahia, desde 25 de agosto em busca de uma regulação que tem como responsável o governo do estado da Bahia por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SESAB).

O caso tem tomado as redes sociais nos últimos dias e gerado comoção aos internautas, que pedem agilidade na transferência do homem. Segundo a família, ele deu entrada na unidade hospitalar após um suposto choque elétrico que culminou com um desequilíbrio e queda de cerca de 4 metros de altura enquanto prestava serviços a uma loja de móveis e eletrodomésticos na cidade.

Os médicos identificaram no trabalhador fratura no fêmur esquerdo, fratura desalinhada do osso ilíaco esquerdo (parte superior, aplanada do osso coxal) e também no corpo do púbis e do ecetábulo esquerdo (região articular do quadril, mais especificamente a pelve, chamada popularmente de bacia). Jailton está sob medicação se alimentando muito pouco e fazendo uso de fraldas descartáveis (Material fornecido através do Hospital até o momento), segundo afirmou Dairlane, nora da vítima.

Vale ressaltar que a Regulação de pacientes é uma ferramenta de democratização do acesso, onde, por exemplo, um paciente do município de Barreiras, oeste da Bahia, tem o mesmo direito a ser internado no Hospital Geral do Estado, localizado na capital Salvador, do que um paciente que está na emergência do hospital. A decisão de internação será pautada na gravidade do caso e não pela proximidade.

É um sistema criado para gerir vagas hospitalares e outras necessidades de pacientes dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), utilizando critérios internacionalmente estabelecidos. Antes de ser criada a Regulação, os pacientes rodavam de porta em porta, dentro de ambulâncias ou pessoalmente, buscando uma vaga que, muitas vezes, não era em uma unidade com o perfil adequado para tratar aquela pessoa ou era uma unidade em que não existia a vaga.

A classificação de risco é uma ferramenta utilizada nos serviços de urgência e emergência, voltada para avaliar e identificar os pacientes que necessitam de atendimento prioritário, de acordo com a gravidade clínica, potencial de risco, agravos à saúde ou grau de sofrimento. As unidades seguem protocolos internacionais, como o Protocolo de Manchester, no qual classifica o paciente como Emergência (Vermelho), Muito Urgente (Laranja), Urgente (Amarelo), Pouco Urgente (Verde) e Não Urgente (Azul).

Em Nota, o Hospital informou que sobre o caso do paciente, o mesmo precisa de uma cirurgia no acetábulo, procedimento de alta complexibilidade e que a unidade não possui profissional para a cirurgia. Ainda segundo o hospital, todos os dias tem se reforçado a situação do paciente no histórico do mesmo e atribuído a central de regulação do estado a necessidade de urgência na transferência e segue aguardando o aceite por parte de alguma unidade especializada. A unidade ainda ressalta que o compromisso é com a vida.

Até o fechamento desta matéria o caso não havia sido solucionado e a SESAB também não se pronunciou. As informações são da 95 FM/ Mateus Oliver.

 

Siga o Bahia em Dia nas redes sociais 

Instagram: https://www.instagram.com/bahia_em_dia/

Facebook: https://www.facebook.com/bahiaemdia/

Bahia em Dia