Ministro da Saúde Nelson Teich pede demissão menos de um mês depois de assumir

O ministro da saúde Nelson Teich pediu exoneração do ministério nesta sexta-feira (15), um mês depois de assumir o cargo no governo do presidente Jair Bolsonaro.

Ele deixa a pasta após sofrer pressão do presidente para apoiar o uso da cloroquina — remédio cuja eficácia contra o coronavírus não é comprovada — para pacientes com Covid-19.

Na quinta-feira (14), Bolsonaro havia dito que iria “exigir” do ministério a adoção de um novo protocolo indicando o uso da cloroquina para pacientes em estágio inicial da doença. Bolsonaro vem promovendo a cloroquina como “salvação” contra o coronavírus desde o início da crise, mas diversos estudos nacionais e internacionais mostram que o uso do remédio não diminui o número de mortes ou de internações por Covid-19 e pode ter efeitos colaterais muito prejudiciais.

Teich havia assumido a pasta em 17 de abril, após a demissão de Luiz Henrique Mandetta — que saiu após um mês de conflito com Bolsonaro.

Ao assumir, Teich disse que existia um “alinhamento completo” entre ele e Bolsonaro e que não haveria mudanças radicais na política adotada até então. A “sintonia” entre o presidente o ministro, no entanto, não durou muito tempo.

Siga-nos no Instagram: https://www.instagram.com/bahia_em_dia/